segunda-feira, 21 de junho de 2021

Feche o ciclo

Quando criei o rascunho deste texto (exatamente com este título) pensei em falar um pouco sobre compostagem em meio urbano, o que estamos fazendo com o nosso lixo, apresentar alternativas para sermos minimamente ecorresponsáveis. Mas hoje, lendo o título me veio outra ideia: fechar o ciclo tem muito a ver com ciclos de vida; deixar algo ir para outra vir. E, confesso, estou praticando isso no momento. 

Há anos venho tentando fechar ciclos, mas, para uma virginiana de carteirinha, essa coisa não é tão fácil. Gostamos de rotina, de métodos, de ter o controle, então novas situações nos tiram da zona de conforto. Haja sessão de terapia! E foi exatamente após muitas sessões que decidi me abrir para o novo, deixando ir aquilo que já era mais do que passado. Fácil? Nadinha. Mas um belo dia é preciso abrir o armário, colocar tudo para fora, sobre a cama, no chão, esvaziar mesmo, fazer aquela limpeza em cada cantinho do armário, borrifar essência e, após muita seleção, recolocar algumas peças no lugar. Olhar atento! Essa calça já não fecha. Esse vestido tá rasgado no canto. Aquela blusa, se bobear, vai sozinha à padaria. Esse chinelo já tá bem gasto. Esse casaco...ok. Ele fica, mas primeiro vai para a lavanderia. 

Seleção feita, veja quanta coisa que já não servia mais e estava só ocupando espaço no seu armário. Assim também é com a vida. Um belo dia se desconecte do mundo, fique apenas com você mesma se ouvindo, se sentindo, tendo belas e péssimas recordações, gargalhando e chorando. No fim, veja o que mais arrancou gargalhadas, o que vale a pena ser lembrado mais e mais. O restante deixe ir. Foi importante, mas foi...

E a partir disso, com tanto espaço no armário, na vida, no coração, permita que novas experiências sejam vividas, que novas pessoas se acheguem (para um café). As tardes terão um novo significado, as noites não serão mais solitárias e as manhãs...ah! Essas começarão com um sorriso sem pressa. Porque fechar ciclos é isso: viver novas experiências sem roteiro, sem amarras, sem (tantos) medos.

Esse click foi em uma pousada em Lumiar exatamente
porque fechei um ciclo e me abri para viver outro.


Nenhum comentário:

Postar um comentário