sexta-feira, 19 de fevereiro de 2021

Casa com gato

Aproveitando que nesta semana foi comemorado o Dia Mundial do Dato (17 de fevereiro) trago uma reflexão sobre os bichanos. Ter ou não ter? 

A pandemia fez muitas pessoas cogitarem adotar um bichinho devido à solidão durante o isolamento. Solteiros geralmente pensam em gatos tendo como argumento que são animais independentes (e, consequentemente, os tutores não precisariam abandonar a rotina de baladas e viagens). Doce ilusão!

Eu não curtia gatos, achava-os ariscos e abusados subindo em móveis que os cães, claramente, entendem que não podem. Mas me apaixonei por uma que morava numa loja onde as minhas cachorras eram tosadas. Levei aquela bola de pêlo para casa e minha vida mudou completamente. Primeiro porque precisei telar todo o apartamento (e isso era um dos motivos que me fazia torcer o nariz para os gatos) e depois porque me apaixonei pelos felinos.

Eles são bem independentes, mas isso não significa que não gostem de carinho e interação. Passei uma semana longe de casa e a Mia surtou. Mesmo com um amigo aparecendo todos os dias para cuidar da Mia, ela ficou triste, com uma miado choroso perto da porta de entrada. Ela estava me chamando, sentindo-se abandonada (eu a via pela câmera de monitoramento). Coração partido, decidi que nunca mais deixo ela em casa sozinha. Gatos sentem falta sim! Ela adora brincar (tudo bem que é de madrugada, mas ela me chama para brincar); gosta de atenção, de colo, de cafuné. E para piorar, gatos têm mais dificuldade de adaptação. Isso significa que carregar o bichano nas viagens ou para hospedagens felinas não é uma boa ideia (para ele, claro).

Além disso, você consegue dar remédio para gato? É a cena do capeta encarnando. Rezar para ele não ficar doente, não significa que o cara lá de cima vai te atender. Então, pensa bem! 

Resumindo: gatos são animais adoráveis, super limpos, metódicos, carinhosos, brincalhões, mas também estressantes (na hora da medicação) e dependentes. Sim, eles precisam de muito mais que água corrente, comida fresca e caixa de areia limpa. Eles precisam de carinho e de atenção, e não é apenas algumas vezes por semana. Precisam (e pedem) todos os dias. Você está preparado (a) para abrir mão de algumas viagens e baladas noturnas? 

Não é apenas um bicho, um mascote. É uma vida. Pense (muito) bem antes de levar um animal para sua vida.





Nenhum comentário:

Postar um comentário