segunda-feira, 16 de julho de 2018

Carioca na Paulista

Cariocas têm um preconceito com São Paulo. Comigo não seria diferente.

Passei muitos anos dizendo que não gostava de São Paulo. “Cidade cinza, poluída, suja... Odeio São Paulo”. A verdade é que eu nunca tinha estado em São Paulo.

Só que 2017 foi um ano que São Paulo aconteceu muito na minha vida por questões de trabalho. E aconteceu taaaanto que eu fui me apaixonando pela cidade. Para mim já era claro: “Eu quero morar em São Paulo.”

Assim que a oportunidade aconteceu, eu não pensei duas vezes. Deixei a vida para trás. Mas houve algo comigo que muitas vezes acontece nas nossas vidas: fechamento de ciclos. E eu sentia que o meu ciclo precisava ser fechado para que eu pudesse voltar a florescer. Foi então que...

Veio tudo junto: a formatura, o novo emprego, a saída da casa dos meus pais, a mudança de cidade, um novo estilo de Pole Dance, uma nova fase no meu namoro, uma nova casa para morar. E com tudo isso, veio também a liberdade, que era algo que gritava dentro de mim. A gente, às vezes, precisa se afastar para se descobrir, e isso para mim ficou muito claro. Tinham muitas influências sobre a minha vida que estavam me impedindo de ser a pessoa que eu queria ser.

- Por que você mudou para São Paulo? - perguntam sempre.

- PORQUE EU QUIS. É tão bom quando a gente escolhe; toma as rédeas da vida.

Morar sozinha foi muito natural para mim (por mais que minha mãe achasse que eu não fosse sobreviver). Eu fui com uma missão legal para o time onde trabalho hoje, de levar uma visão feminina (trabalho com quatro homens, o que, às vezes, me deixa louca, mas está sendo um lindo exercício de auto conhecimento).

Então, eu acho (não! Eu tenho certeza) que a palavra da vez é crescimento. Foram cinco meses até agora e com certeza muitas coisas incríveis ainda estão por vir. Claro que volto aqui para contar. ;)


Texto escrito por Giulia Apicelo, aquela administradora, blogueira, empreendedora e pole dancer maravilhosa que administra a WeGon.

2 comentários:

  1. Feliz demais de poder contribuir com esse projeto lindo! Obrigada pelo convite!

    ResponderExcluir
  2. Se você está feliz, imagina esta Casa...Seu texto, sua história e tudo que ainda virá dessa menina-mulher nos impulsiona. =)

    ResponderExcluir