segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Pet em condomínio: é proibido proibir

Se você não curte o latido do cão do seu vizinho, ou se acha um absurdo aquela pessoa que usa o elevador para subir e descer com seu papagaio pendurado no pescoço, lamentamos informar, mas vai ter que aceitar (tudo) isso. Por quê? Porque é proibido proibir. =P

Conversando com uma amiga que mora de aluguel, descobri que em seu prédio é proibido ter animais. Oi? Isso mesmo. Foi, então, que decidi conferir se essa proibição era legal. Para quem se incomoda com qualquer latidinho, saiba que nada, nem mesmo a convenção de condomínio, pode impedir que um morador (seja ele proprietário ou inquilino) tenha qualquer tipo de animal doméstico. Isso porque no Brasil os animais (infelizmente) ainda são considerados coisas. E como regra condominial alguma pode proibir o morador de possuir algo...os animais ficam. Tudo com base na Constituição. Sacou? 

Mas e a questão do uso do elevador, restrição a determinadas áreas comuns etc. etc. etc.? Primeiramente, sempre vai valer o bom senso. Logo, se seu condomínio tiver somente um elevador (social, neste caso) o ideal é que o animalzinho utilize o elevador no colo de seu tutor. Mas e se for um labrador? Ótima pergunta! Independente do tamanho, o cão, por exemplo, pode utilizar o elevador (sempre acompanhado de seu tutor maior de idade) sem ser no colo. Se for agressivo, com focinheira para evitarmos problemas, certo?! Agora, eu mesma tenho uma poodle que pesa quase 10kg. Por ela ser obesa, tem problema cardíaco, o que, consequentemente, torna perigoso que ela utilize a escada (mesmo sendo apenas um lance) e, por seus 10kg, é inviável que eu a pegue no colo. Sendo assim, Ninoca utiliza sim o elevador. Quem não gostar, vai de escada, ou espera a próxima viagem. 

O mesmo vale para áreas comuns. O condomínio não pode proibir que os moradores passeiem com seus animais nas áreas comuns, como já vi em muitos lugares isso acontecer. Pode estar em letras garrafais e em negrito na convenção. Lamentamos informar (mentira. não lamentamos nada): convenção não se sobrepõe a Constituição, que enfatiza o direito de ir e vir do cidadão. Mais uma vez, como o cidadão pode possuir o que quiser - desde que não seja ilegal, seu gato, periquito, cachorro ou papagaio pode sim passear dentro do condomínio. Claro, a regra da boa convivência deve ser observada sempre: o animal precisa estar com coleira e guia, se for antissocial precisa usar focinheira e seus dejetos recolhidos imediatamente por seu tutor. 

Agora, proibir a existência, permanência ou mesmo a circulação de qualquer animal doméstico, o condomínio NÃO PO-DE. Duvida ainda? Clica no vídeo logo abaixo para ver a entrevista com o advogado Reynaldo Velloso, membro da comissão de direito e defesa dos animais da OAB/RJ. E se mesmo com tudo isso ainda tiver alguma dúvida ou encrenca com algum vizinho ou síndico, fala com a gente. Ok? ;)


Entrevista no quadro semanal Sala de Direitos, 
do Repórter Rio (TV Brasil), produzida por mim.


sexta-feira, 10 de novembro de 2017

O primeiro a gente nunca esquece

Você sabe o que é kefir? Eu não sabia até conhecer o blog Raiz de Gengibre, que se tornou parceiro desta Casa, permitindo que compartilhássemos dicas gostosas para facilitar a sua vida na cozinha.

Primeiro kefir desta casa
Basicamente, o kefir é uma colônia de bactérias, que fermentam o leite formando um iogurte probiótico. Seus defensores (não eu) dizem que faz muito bem para a saúde. Bom, mal sabemos que não faz, então para comprovar o bem, só mesmo testando. E para isso, eu entrei na fila na Carol Jardim (adm do Raiz de Gengibre) para ganhar a minha primeira mudinha. 

Ontem, "minha filha" chegou. E, por isso, a Casa traz esta dica natureba para a sua vida. Clica aqui para saber um pouco mais sobre o kefir, como conseguir uma mudinha e como cuidar dela. Depois conta pra gente o que achou. ;)

Mudinha que estamos criando 




quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Já é Natal...Já?


Aqui no Rio de Janeiro dizemos que é Natal quando é natal na Leader (uma loja de departamentos bem antiga e famosinha). Tudo por causa do jingle "Já é natal na Leader, já é hora.". 

O comércio tem adiantado cada vez mais o início do natal. Mal os vendedores estão tirando suas fantasias de Halloween e já estão colocando os gorros de ajudantes do bom velhinho. E, assim, seguimos o ritmo também em nossos cafofos. Mas, quando realmente é hora de montar a árvore e enfeitar a casa para a festa?

Pela tradição cristã, a árvore deve fazer parte da decoração da casa no início do Advento – tempo de preparação para o nascimento de Jesus Cristo – que é de quatro domingos antes do aniversário de Cristo. Mas como essas datas cristãs não são fixas (e nem adianta me explicar como essas contagens são feitas, porque realmente eu não entendo por que a semana santa a cada ano é num dia diferente), em 2017 a data certa é 3 de dezembro. Isso segundo a Confederação Nacional dos Bispos do Brasil. Então, se não curtiu vai brigar com eles. Ano passado, o dia para montar foi 27 de novembro. 

Já o dia certo para tirar toda a decoração natalina, este é fixo, sempre no Dia de Reis (06 de janeiro), que representa o encontro dos Reis Magos com o Menino Jesus.

Tem gente que não se aguentou e já tirou do armário todas as bolinhas coloridas, gorros e pisca-pisca. Não julgo, afinal, a decoração para o natal deixa a casa muito mais aconchegante. No entanto, se você é do tipo que espera entrar, pelo menos, o mês de dezembro para colocar sua árvore na sala, aproveite que neste ano, o dia D cai em um domingo, perfeito para reunir a família ou os amigos, se você mora em república, para encher seu pinheiro artificial (no Brasil é bem difícil alguém ter um natural) com bolas e penduricalhos que remetam ao bom velhinho e ao Menino Jesus. 

Como após a mudança minha árvore foi parar por engano no lixo (tia Márcia, eu não esqueci, hein!), terei que comprar outra para o novo cafofo. Por isso, a casa só terá ares natalinos em dezembro mesmo. Até lá, fiquem com o jingle mais famoso do Rio de Janeiro nesta época do ano!



sexta-feira, 3 de novembro de 2017

A gororoba que a gente respeita

Entendemos perfeitamente a preguiça que leva algumas pessoas a recorrerem ao famoso pão com manteiga ou mesmo ao delivery de qualquer restaurante perto de casa. Mas sabemos também que comidinha caseira, aquela feita por nós mesmo, é sempre mais saborosa. Por isso, pensando na fome mais a vontade de comer associada à preguiça, selecionamos esta receita do nosso blog parceiro Raiz de Gengibre. 

Dê um clique aqui para conferir a praticidade do prato desta sexta-feira. Pode parecer uma gororoba. Mas quem disse que gororoba não é gostosa?