sexta-feira, 29 de setembro de 2017

Jantar de sexta-feira (fim do mês)

Pensando seriamente em você que vai sair exausto do trabalho ou da faculdade hoje direto para casa (porque está sem grana, ou porque está cansado, ou porque sim, e somente sim), selecionamos para esta sexta-feira caseira um jantar mega prático para fazer antes de se jogar na cama: RISOTO.

Não faça essa cara! Não é um risoto qualquer e muito menos complicado de preparar. Quando foi que os moradores desta Casa te passaram uma receita difícil hein?

A receita de hoje, criada pelo blog parceiro Raiz de Gengibre, precisa somente de salsa, cebolinha e arroz (claro). Ou seja, é bem típica de fim do mês, quando podemos confundir nossa geladeira com um aquário sem peixes. 

Então é isso. Dê um clique aqui para conferir o passo-a-passo mais prático que você verá na vida para um jantar (gostoso).


domingo, 24 de setembro de 2017

Já que o inverno se foi...

Apesar de ser carioca da gema, não sou fã de sol, praia e aquele calor de 40 graus sentido até na sombra. Minha estação favorita é o outono, depois o inverno e a primavera. O verão? Ah! O verão podia ser extinto desse planeta, mas como não tenho esse poder, selecionei uma receita bem refrescante do nosso blog parceiro Raiz de Gengibre: SORVETE. 

E não basta ser gostosa; tem que ser fácil. Muito fácil. Cara, na boa! Mais fácil que isso só passando no mercado e comprando o pote. Só que aí tem a fila giga do caixa, estacionamento, o calor derretendo o sorvete E você. Melhor mesmo fazer em casa. Juro! Clica aqui que você não vai se arrepender! 

E o melhor: é fit =D

sábado, 2 de setembro de 2017

Sofá amorzinho e anti-gatínea

Agora sim minha casa está completa. Mentira! Ainda falta a cortina da sala =D

De qualquer forma, o protagonista da sala chegou: meu tão sonhado sofá. 

Desde que resolvi morar sozinha nutria a ideia de ter um sofá de pallet. Cheguei a catar quatro pallets numa obra, mas eles se perderam entre a casa do meu ex-namorado e a minha. Na falta de onde sentar, aceitei o sofá de três lugares de couro sintético que a vizinha estava jogando fora. Estava em perfeito estado, ela só não queria mais ele. Foi então que eu o salvei do triste destino do lixão. Mas não era ele o meu sonho de consumo. Porém, era o que tinha e que me fez companhia por três anos, até a Mia (gatínea) aparecer na minha vida e destruí-lo. Do jeito que ele ficou (e por não ser o amor da minha vida), deixei o coitado do sofá pra trás durante a mudança de apê. 

Já no cafofo novo...quatro meses sentando e oferecendo para as visitas o chão da minha sala, tomei vergonha na cara e fui atrás do meu sofá de pallet. Peguei algumas inspirações na internet até chegar ao que eu queria: baixo, com rodinhas para facilitar o deslocamento durante a limpeza da casa, e com a largura de um colchão de solteiro, pois assim ele serve como cama também. AHÁ!

O assento é, literalmente, um colchão de solteiro, doado pela minha mãe. Apenas mandei estofar com suede (próprio para quem tem gato e não quer ver o tecido destruído em poucas horas) e TCHRAAAAM! Ok, as pessoas mais velhas não conseguem se sentar no meu sofá com muita facilidade, mas... A CASA É MINHA. Quem mora aqui e passa a maior parte do tempo neste sofá de pallet soy yo. 

Agora sim meu apê está completo, minha sala está com a minha cara. Muito amorzinho. <3 

PS: quem tem bichano e quer manter todos os estofados da casa intactos, pode procurar tecidos como o suede e o acquablock. Este é o melhor anti-felinos, mas eu queria algo mais aveludado, então optei pelo suede e estou amando. A Mia até tentou bem no início deixar suas marcas no sofá, mas não conseguiu e, por isso, desistiu. O foco dela agora é a minha poltrona de retalhos. Infelizmente, ela não é de suede, então está sofrendo nas patas da gatínea desta casa. Quando estiver no tempo de estofar, vai tecido anti-gatínea nela também.

Minha inspiração