sexta-feira, 7 de abril de 2017

Saindo de casa (de novo)

O ano começou normal, eu planejando a Eurotrip até que pah! Quero mudar de apartamento. Mais ainda: quero mudar de bairro, de região. Isso pode ser normal para muita gente. Não para mim, virginiana de carteirinha. Não curto mudanças (no geral). Só que dessa vez, eu senti necessidade de mudar (de vida).

O bairro onde moro desde que me entendo por gente é quase uma cidade de tão grande. Digo que é minha Stars Hollow particular (Stars Hollow é o nome da cidade onde se passa a série Gilmore Girls). Isso porque é bem arborizado, praticamente todos se conhecem, sem contar que tudo fazemos por aqui (porque realmente leva-se horas para se deslocar daqui a qualquer outro ponto da cidade). Mas apesar de amar tudo isso, a distância do meu trabalho começou a pesar. Duas horas. Esse é o tempo de deslocamento (por trecho). Muito cansativo fazer isso de segunda a sexta. Fora as despesas com Uber quando saio com os amigos. 

Foi literalmente do dia pra noite que resolvi me mudar. Comecei a saga em busca do "imóvel perfeito". A triste realidade é que ele não existe; pelo menos não dentro do meu orçamento. Associar proximidade com o trabalho a bairro tranquilo, mas não deserto, apartamento maneiro, em prédio maneiro, com vizinhos maneiros e ainda aluguel e garantias dentro do que posso oferecer...Ufa! Não deu. Daí percebi que o segredo está em fazer concessões: não terei isso, mas terei aquilo. 

Esse imóvel para onde vou surgiu de uma forma um pouco inusitada. Tinha acabado de visitar dois imóveis. Um apê maneiro, pertinho do trabalho, mas em um prédio estranho. Outro, super bem localizado, em um edifício legal, mas muito pequeno e mal dividido. Já estava sem esperança, pois aqueles eram os últimos da minha listinha de "apês selecionados para visitas". Até que me deu um estalo no metrô de ligar para outros dois que estavam na lista de "segunda opção". A proprietária estava no imóvel, me recebeu no mesmo dia. Me apaixonei pela casa, pelo bairro, por tudo. E tem mais: o primo dela trabalha na mesma empresa que eu (em outro Estado). Essas "coincidências" que aproximam as pessoas.

No próximo sábado farei minha mudança. Estou ansiosa, pois vou morar em outro bairro, em outra região da cidade, longe da minha família (mas perto das polefriends). Tudo novo para mim. Se vai dar certo? Eu farei dar. 

Mia (gatínea) se escondendo na caixa para não se mudar. Ela curte a varanda e no novo apê não tem.
O próximo texto vai falar sobre os perrengues passados desde o primeiro apê que tentei alugar e os macetes para evitá-los (até assédio sexual sofri nesse processo). Pode ficar de olho aqui e no Facebook porque segunda-feira mesmo já teremos atualizações nesta Casa.

Uma amostra do caos que ficou o quarto do Pole cheio de caixas.

Um comentário:

  1. Mudanças são sempre muito problemáticas, né? Comigo é assim também. Um parto até me acostumar com tudo de novo. Mais faz parte. Tudo dará certo, ou seja, você fará dar certo, como disse. Felicidades para você e sua trupe de anjos peludos. Beijos.

    ResponderExcluir