quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Resoluções de ano novo #1


Então o contestável ano de 2016 está chegando ao fim e com isso vem a esperança de dias melhores (e de colocar em prática tudo que não deu este ano). Lembram do Desafio 2016 que fiz com a blogueira Juliana, lá de Brasília? Não? Ótimo, porque não cumpri quase nada e é provável que você esteja no mesmo barco que eu. Mas como falei, a chegada de um novo ano traz de volta a esperança e metas que criamos para facilitar e melhorar a vida. Sendo assim, vamos começar?

Antes de 2016 dizer Adeus, que tal deixar a casa em ordem? Não sei quanto a vocês, mas quando o meu apê está uma zona significa que a minha vida, o meu interior também está. 

Sabe aquela papelada que a gente guarda para comprovar pagamentos e cosas así? Bora fazer A faxina nessas pastas?Algumas contas, como cartão de crédito, faturas de celular, internet e TV por assinatura são cumulativas. Isso significa que pagando a do mês de dezembro, por exemplo, as dos meses anteriores são quitadas, pois estavam computadas nesta. Logo, basta guardar a última fatura, como comprovante de pagamento. Infelizmente, o mesmo não acontece com as contas de energia, condomínio, aluguel, água, IPTU. Mas eliminando as outras que citei já é meia pasta vazia. Além disso, é possível pedir para algumas empresas para receber as cobranças apenas por e-mail, evitando, assim, a utilização de papel (o meio ambiente agradece e a sua casa também). Aqui é quase tudo assim. Até porque eu pago tudo pelo bankline, então os comprovantes são virtuais, o que não faria sentido eu ter a cobrança em papel. No entanto, se você é do tipo que curte a folha de papel, ok. Apenas lembre-se que após cinco anos a empresa não pode mais realizar aquela cobrança. Então, não há motivo para manter arquivadas contas com mais de cinco anos, né?! ;)

Limpou as pastas de documentos? Vamos passar para o guarda-roupa. Separe uma pilha de itens que usa sempre, outra pilha de coisas que usa raramente e outra com aquela roupa ou calçado que nunca vestiu. A última pilha óbvio que precisa ser entregue para doação imediatamente. A de coisas que raramente usa é para se pensar. Não usa muito por quê? Se tem mais de três meses que a roupa não sai do armário, partiu doar também? Isso vale para maquiagens, bolsas, bijuterias e até itens de cozinha, como refratários, batedeira etc. Não adianta pensar: “Ah! Mas vai que um dia eu queira fazer um bolo...” Bate a massa na mão, criatura! Se não usou a batedeira até hoje, não tem desculpa para ela continuar ocupando espaço no armário. E pense que ainda dá para fazer grana com esses itens. Em lugar de doar, pode colocar à venda. ;)

Por hoje é só. Amanhã tem mais, com um texto sobre metas para 2017. Este foi apenas para fazer você olhar com mais carinho para o que tem em casa e pensar se realmente precisa de tudo que guarda.

Um comentário: