segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Repaginando o aparador

Era um fim de semana de sol, eu passeando com a minha mãe pelas ruas do bairro depois daquele almoço de domingo, quando avistei ele: o aparador. Cor de madeira com detalhes em vermelho pintados com alguma tinta muito vagabunda, puxadores improvisados ou sei lá o quê. 
- Está vendendo, moço? - perguntei para um homem com cara de quem já tinha acordado bêbado.
- Tô sim. R$ 50.
- Opa! Vou ver se consigo um frete e volto aqui para levar, tá?

Consegui uma boa alma que colocou dentro de seu carro aquela madeira velha, cheia de poeira e talvez aranhas, mas cheia de potencial também. Ficou encostada um bom tempo num canto da sala até que minha mãe...
- Bora pintar isso até o Natal!
- Já é!

As gavetas foram bem lixadas antes de receberem a tinta. O restante do móvel recebeu uma lixada básica também para tirar o verniz original e aquela tinta deus-me-livre. Foram apenas duas demãos de tinta. Escolhi uma cor da Suvinil com um tom mais para o grafite seguindo a sugestão de um amigo que entende dos paranauê. Foi preparada na hora com efeito acetinado (quis fugir um pouco da mesmice de móvel com brilho).

Minha primeira ideia era pintar com spray, mas como não achei a cor, tive que mandar fazer e, com isso, só na lata comum, usando pincel próprio para madeira.

O ideal é esperar, pelo menos, uma hora entre uma demão e outra. Depois, deixar secando por mais de oito horas em local arejado. Se o tempo estiver chuvoso, talvez seja necessário mais tempo para secar bem. Uma semana depois coloquei os puxadores, da mesma paleta de cor do móvel. Encontrei bem baratinhos na Leroy Merlin. Vocês vão perceber que uma das gavetas ainda está sem o puxador. É que preciso de uma força bruta para retirar o parafuso que o vendedor bebum colocou para o puxador velho. Os outros três eu até consegui tirar, mas este não quer sair por nada.


Apaixonada pelo meu móvel novo. *_*

Podem dizer: só com a mente muito aberta para ver beleza nesse móvel assim né?

Minha mãe dando aquele trato no aparador. Tks, mom.
Para não sujar o cômodo onde estiver pintando, sugiro colocar plástico no chão e, se necessário, nos móveis ao redor. Já utilizei jornal, mas quando cai tinta nele, o jornal gruda tanto no chão, quanto no móvel e aí fica ruim. Com o plástico isso não acontece. Dei uma de Dexter e encontrei uma embalagem com 4 metros de plástico (também na Leroy Merlin). Dá para cobrir a casa inteira se quiser. =P

Provando que nem tudo que parece lixo é lixo.

Ah! Aproveitando a onda de reformas... para receber a Mia com segurança aqui em casa (veja o post da semana passada), eu tive que telar a varanda. Mas como a grade estava muito feia, cheia de ferrugem, eu dei um trato nela antes. Retirei a grade extra de arame que tinha, lixei a balaustrada tooooda para deixá-la sem ferrugem e lisa para receber a primeira demão de tinta. Uma hora depois, a segunda demão. Como o tempo estava chuvoso, levou dois dias para secar e, com isso, atrasou um dia a instalação da rede de proteção. Optei pela cor preta nas grades porque escolhi a rede preta. Ficou muito melhor agora, não? ;)

Grade da varanda com cara de nova e agora também com rede de proteção para a Mia.


Um comentário:

  1. Parabéns às duas pelo belíssimo trabalho no aparador. Ficou ótimo. Beijos.

    ResponderExcluir