segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Pense bem

Tenho visto com bastante frequência pessoas que resolvem sair da casa dos pais, alugam um apê e pouco tempo depois (no máximo um ano) retornam ao ninho. O motivo é sempre o mesmo: grana. Vamos aproveitar que mais um ano vai começar em poucos dias (e ano novo sempre é uma chance de renovação, novas metas e tal) para voltar a este assunto aqui, relembrando que planejamento é a parte mais importante de quem deseja morar sozinho, ou dividir um apê com amigos. Se não tiver planejamento, o sonho da independência vai por água abaixo.

Primeiro de tudo: a casa dos seus pais realmente ficou insuportável? Essa é a pergunta que precisa ser feita em tempos de crise econômica. Tudo está mais caro, seu poder de compra diminuiu por causa da inflação altíssima e as tarefas do lar vão tomar seu precioso tempo de balada ou de estudos. Sendo assim, lembre com carinho da mordomia (ainda que pouca) que você tem na casa dos pais. Duvido que lá seja você o responsável por pagar todas as contas e manter o lugar em ordem lavando, passando, cozinhando...

A segunda questão também tem a ver com dindin, afinal tempo é dinheiro. Como eu sempre digo aqui, no apartamento da minha mãe eu tinha "serviço de quarto completo". Até café na cama eu ganhava. Ela colocava as roupas na máquina e eu, no máximo, pendurava no varal. Todos os dias tinha comida fresquinha. Pizza era somente nos fins de semana. Na minha casa é o inverso. Isso porque eu não tenho uma coisa muito preciosa: TEMPO. Saio de casa cedo todos os dias e chego muito tarde. Agora, estudando para outro concurso, até meus fins de semana estão tomados da manhã até a noite. Em qual momento eu limpo a casa? Quando eu vou ter ânimo para cozinhar? Se eu não colocar as roupas sujas na máquina, elas não vão caminhando até lá. Mas cada segundo livre quero descansar (ou estudar mais para o concurso). Então, pense bem se este é o momento de abrir mão do seu lazer, dos estudos e projetos somente porque você quer morar sozinho.

E mais uma vez eu digo: as contas chegam todos os meses. Nesse verão do capeta, a conta de energia elétrica não vai vir com menos de três dígitos. Se liga nisso! No mínimo, tem água (ainda que dividida com os outros moradores do condomínio), gás, luz (cuidado com o gato!), aluguel e/ou condomínio, telefone (até o celular pré-pago tem uma despesa mensal para manter a internet funcionando) e, se quiser fazer uma graça, ainda tem que pagar a TV por assinatura e a internet banda larga. Isso sem falar na diarista, que você vai querer contratar nem que seja uma vez por mês, e as compras de mercado, porque ninguém vive de luz. Seu salário dá? Realmente dá? Ou vai viver achando que o cheque especial faz parte do seu salário e que o pagamento mínimo do cartão de crédito é o total da fatura?

Meu povo querido, não esquece que sair da casa dos pais também implica em comprar móveis e utensílios para a sobrevivência de um ser humano (cama, fogão, geladeira, ventilador - no Hell de Janeiro precisamos de ar-condicionado mexxxxxxxmo - TV e lâmpadas para não ficar no escuro). Isso mencionando o básico do básico. Afinal, uma casa de verdade pede muito mais que essa listinha fajuta.

As pessoas que vi voltando para as casas de seus pais disseram a mesma coisa: "o aluguel estava muito caro" OU "meu salário não estava dando pra pagar tudo sozinho". Coloque tudo na ponta do lápis antes de pisar fora do ninho. Ainda que as despesas sejam divididas com algum amigo que tenha o mesmo sonho de independência, é preciso pensar: "se ele cair fora eu consigo me manter sozinho?" Já vi pessoas deixando na mão seus "colegas de quarto" porque sentiram falta do conforto da casa da mamãe e isso impactou na vida daquela pessoa que contava com a divisão das despesas para se manter no imóvel que alugaram. Tremenda sacanagem! Então, até essa possibilidade de "abandono" é preciso considerar. 

A ideia de morar sozinho ou de dividir um apê com amigos é encantadora. Mas dá um trabaaaaalho. Não quero te desanimar. Longe de mim fazer isso. Até porque, aos trancos e barrancos, ainda moro sozinha. Sinto falta de chegar em casa e encontrar tudo limpo e arrumado como por mágica, além daquela comidinha deliciosa sendo preparada. Mas foi a escolha que fiz e, por enquanto, estou conseguindo manter de boa. Minha intenção é apenas te chamar para a realidade (nem sempre tão linda) de morar sozinho. As contas vão chegar pontualmente, a casa vai ficar suja se ninguém limpar, as roupas não vão aparecer limpas e passadas no guarda-roupa por mágica e a comida...ah, a comida! Sabe aquele cheirinho gostoso que você sentia antes de abrir a porta? Pois é. Ou divide apartamento com quem sabe cozinhar (e tem disposição pra isso) ou esse cheirinho de comida caseira vai ser apenas do vizinho. 

2016 está chegando. É tempo de renovar a listinha de metas e desejos. Seja realista para que o próximo ano realmente seja maravilhoso!



Nenhum comentário:

Postar um comentário