segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Falta um móvel aqui

Como muitos já sabem, eu me mudei para meu atual cafofo e passei apenas 20 dias aqui antes de me mudar novamente, dessa vez para Brasília. Quando de fato me mudei para este apartamento, em julho do ano passado, eu percebi que um dos móveis não estava mais aqui. Era um dos meus favoritos. Não. Era o principal móvel desta casa, era o que a transformava em lar, que dava um toque diferente na decoração, que fazia eu me sentir... sei lá, diferente por ter conquistado um móvel tão raro.

Até hoje não sei o que aconteceu, como ele sumiu daqui de casa. Comprei outros para tentar substitui-lo, mas não deu muito certo. Incrementei a decoração colocando uns quadros nas paredes, uma manta no sofá, cheguei a trocar os móveis de lugar para tentar ocupar o espaço que ele deixou vazio. Nada disso adiantou.

É incrível como certas coisas são insubstituíveis dentro de uma casa, não é mesmo? Um micro-ondas, por melhor que seja, não substitui um fogão. Cada um tem a sua função específica, ainda que sejam semelhantes em alguns aspectos. Da mesma forma, uma poltrona não substitui um sofá, assim como uma rede não consegue ocupar o lugar de uma cama. 

Quando foi mesmo que tiraram esse meu móvel tão importante de dentro da minha casa? Hoje, eu olhei para um canto, aquele cantinho da casa onde ele ficava, e bateu uma saudade. Afinal, era um objeto que já fazia parte da minha vida há alguns anos. Com alguns arranhões, claro, mas ainda brilhava e deixava aquele cantinho do meu cafofo mais lindo, mais vivo. Não adiantou eu trocar os móveis de lugar, muito menos comprar outros. Não há o que preencha o espaço enorme que ele deixou aqui dentro de casa. Talvez quando eu encontrar um novo apê e me mudar, não sinta mais falta dele, pois será uma nova casa, onde ele jamais terá entrado, um lugar onde ele não terá feito parte dos meus planos de decoração, uma vida nova. Até lá, sigo evitando olhar na direção de onde ele ficava, de lembrar das coisas que ele guardava e que me enchiam de alegria, com um sorriso de orelha a orelha, quando ele se abria, revelando o que tinha ali dentro. 

É loucura sentir tanta falta de um móvel dentro de uma casa? E se essa casa for o seu coração?



segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Vários estilos de cabeceira para você sonhar (e criar)

Hoje é segunda-feira e dia de... TUDO. Porque é na segunda-feira que decidimos começar o que adiamos por dias, semanas, meses, quem sabe até anos: dieta, academia, busca por emprego, faxina, inclusive repaginar a casa. Então, vamos falar de decoração? 

É muito comum a pessoa que está indo morar sozinha pela primeira vez se preocupar apenas com o basicão (por questão de grana mesmo). Logo, o quarto ganha um armário (quando não uma arara), um criado-mudo (que também pode ser um banquinho velho) e uma cama. 

Mas cama sem cabeceira fica estranha, sem vida. Pra qual lado você dorme? Com a cabeça perto da parede, uai! Tudo bem que isso seria uma pergunta ridícula, mas cama sem cabeceira realmente fica parecendo que falta algo. 

Eu nunca quis uma cabeceira tradicional. Antes de me mudar, pensava em contratar alguém para pintar, com traços bem delicados, um modelo estilo provençal, mas depois mudei de tinta para adesivo e de princesa para algo mais alternativo. ;)

Na minha busca por uma cabeceira de adesivo que me empolgasse encontrei cada uma mais linda que a outra. Mas vou falar: dá um trabalho da P&$%@ colocar isso. Sozinha nunca teria conseguido. No mínimo, mas no mínimo mesmo, duas pessoas (com muita disposição) conseguem aplicar o adesivo após uma hora de muito suor.

Selecionei alguns modelos para você se inspirar. Claro que separei também alternativas ao adesivo, se você for do tipo que não tem tanta habilidade com contact, ou só não curte nada colado na parede. Mas vou logo avisando que os modelos não são tradicionais. Não. Aqui neste blog não entra nada no estilo princesa impecável. Tem coisa de mulherzinha sim, até porque eu sou menina, mas num modelo bem mais bacana do que as tradicionais cabeceiras que a gente encontra ao entrar numa loja... digamos "sem cor".

Dá um confere na seleção de imagens para se inspirar e dar vida ao seu quarto! O mais legal é que quase todas as opções são estilo DIY. Ou seja, fica com a sua cara e você não gasta quase nada. 

 
Simplesmente apaixonada por esta cabeceira feita com portas antigas. Certamente, quando eu reformar o quarto, a minha será assim.


Pallet é vida. Dá pra fazer quase tudo com ele. Olha esse modelo!



Essa cabeceira é superestilosa. Perfeita para uma casa de praia.

Forrar madeira com tecido também é uma ideia bem bacana para uma cabeceira.

A praticidade do varão de cortina modelando a cama.


Isso sim é dar vida nova a um móvel velho.

Fotos e luz de natal dão um ar bem jovial à cama.


Agora começam os estilos em adesivos. Estes eu encontrei no site Mudo Minha Casa.






Tem até para quem curte Lego.

E essa é a minha cabeceira imitando vinil. Amooooooo <3

terça-feira, 13 de outubro de 2015

Open house

Vamos colocar ordem na casa? A partir de agora, os posts serão publicados religiosamente toda segunda-feira. Assim, você já começa a semana com uma leitura nova, uma dica bacana. Beleza? Então, estamos combinados assim: toda segunda pode acessar A Casa é Minha que terá um texto novinho para você não passar por perrengues ou, se já passou, perceber que não está só nessa luta que é se virar longe da casa dos pais. Para os esquecidos de plantão, eu vou avisar na fanpage do blog também. Se você ainda não segue é só dar um CURTIR aqui na barra lateral direita ou acessar a página clicando aqui.

----
Então, eu me mudei há mais de um ano e não havia feito um open house para apresentar meu novo cafofo aos amigos mais chegados. E ainda não fiz (não da forma tradicional: abertura de evento no Face, convite pra uma galera, listinha de presentes, decoração e tal). Como eu sou uma péssima anfitriã, no sentido de não conseguir organizar festas, decidi fazer mini eventos, até porque é muito complicado reunir grupos tão diferentes num mesmo ambiente (pequeno) sem gerar ciúme de amigos daqui competindo com amigos dali. A abertura oficial do meu open house parcelado foi ontem, com um encontro épico: amigas de infância que eu não via há anos (exceto a Lu). Pipoca (uma delas queimou de novo, mas ok, a terceira ficou maneira) + batatinhas + biscoitinhos salgados + castanhas + Matte + Gabriela (a cachaça das deusas) + muuuuuuita história = boas energias e muitas gargalhadas.

Eu optei por fazer um open house diferente (leia pequenas reuniões) porque assim consigo dar atenção para todos os convidados. Até porque com cada grupo eu tenho um tipo de assunto. Não fiz a tradicional listinha de presentes porque já tenho tudo em casa (mas quem quiser me dar um pole pra eu treinar estou aceitando de coração. Manda uma mensagem, que eu falo o tamanho do pé direito aqui do apê, ok?). Mas claro que tem gente que ama dar festas e é ótima organizadora. Se você é assim e acabou de se mudar acho super válido dar uma festinha para apresentar seu novo lar doce lar para os amigos. Apesar de ser péssima organizadora na prática, teoricamente eu sou boa. Então, anota aí algumas dicas que não podem faltar no seu open house e depois veja o que selecionei de inspiração para a decoração da festinha.

Primeiro de tudo veja lá quem você vai convidar. O lugar onde moramos é um ambiente sagrado. Não coloque qualquer pessoa lá dentro. Convide apenas os amigos de verdade, aqueles que você realmente considera, e, claro, os agregados (namorados, noivas, esposas, maridos), assim você garante a boa energia do ambiente. Ah! Se o apê for estilo república, não deixe de perguntar se os outros moradores topam a festinha. Garantido o "sim", coloque-os na lista de convidados. 

Feita a seleção, abra um evento no Face (a forma mais prática de convidar pessoas e ter uma confirmação rápida de quem vai ou não). Não esquece de ver direitinho a data (se for perto de feriado acaba com qualquer festa) e o horário você coloca uma hora antes do real (brasileiro, infelizmente, acha que é bonito chegar aos lugares com, no mínimo, uma hora de atraso). 

Lista de presentes: se você saiu da casa dos seus pais com apenas o que tinha no seu quarto e todo o dinheiro que tem cabe na sua carteira, é melhor fazer uma listinha de desejos. Isso porque os amigos vão querer te presentear, logo vão levar alguma coisa para o seu novo cafofo. Porém, não é legal ganhar um jogo de copos, quando já temos 20 em casa e nenhum talher. Certo? A lista facilita a vida dos seus amigos, que saberão exatamente o que você precisa, e dá uma folga pro seu bolso, pois vai economizar bastante.

Comes e bebes: se a grana tiver muito curta, peça para os amigos colaborarem com a bebida - item que sempre pesa no orçamento de festas - e você se encarrega dos salgadinhos e doces. Brigadeiro de copinho, batata frita, torradas com pastinhas, cachorro quente e pão a metro sempre salvam.

Tem que ter música? Tem. Assim, você ambienta a galera e evita o silêncio constrangedor com o primeiro convidado que chegar. Faça uma seleção que tenha a ver com o momento (e com você, claro).

E a decoração? Ah! Tem várias formas de você receber seus amigos em casa num clima de festa. Ou você apenas espalha alguns puffs e cadeiras para todos se sentarem e libera espaço na mesa e no aparador para os comes e bebes, ou vai além e incrementa a decoração escrevendo na parede, colocando flores em garrafas de vinho, colando fotos etc. Selecionei algumas imagens como inspiração. Todas no estilo DIY, que fica ainda mais legal porque terá o seu toque e sem gastar muito. Dá um confere aí e boa festa!

















Imagens retiradas de "googladas".

PS: este post acabou sendo publicado na madrugada de terça-feira, porque minha internet resolveu me boicotar. Era pra ter sido postado ainda na segunda. Na próxima semana isso não irá acontecer. Juro juradinho ;)