quinta-feira, 17 de setembro de 2015

De repente 31

Caramba! Tenho 31 anos. Ano passado, ao completar 30, quase surtei. Estava entrando na "vida de gente grande". Não tinha mais como voltar. "Why, God? Why? We had a deal!". Eu só conseguia pensar nessa frase do Joey, de Friends, decepcionado por estar envelhecendo. Como assim deixar de ser jovem pra ser adulta?! Tive medo, muito medo.


Parece que ontem mesmo eu tinha 18, estava terminando o ensino médio, e agora já tenho 31, três sobrinhos, duas cachorras e um apê pra cuidar. Caramba! Quando foi que eu cresci? Acho que foi há cerca de três semanas, quando corri para o consultório da minha psicóloga para uma consulta de emergência: no dia anterior havia conversado com minha ex-sogra e ela me confirmou o que minha intuição já havia dito. Chorei a consulta inteira (eu estava chorando há duas semanas sem parar, inclusive no trabalho). Foi quando vi da janelinha do ônibus, voltando da terapia, o morro pão de açúcar. "Já está dando tudo certo. Eu estou em casa", pensei. A partir daquele dia mudei os óculos, como disse depois minha terapeuta, e dos meus olhos só sai aquele brilho de alegria.
 
Ontem foi meu aniversário. Não fiz festa, não estava com o homem que mais amei, foi o aniversário mais diferente dos últimos oito anos, mas foi o melhor da minha vida. A comemoração começou na véspera com duas amigas aqui em casa. Fizemos uma maratona Friends com pipoca, batata frita e bebidinhas saudáveis. Muito papo gostoso, muitas gargalhadas e, assim, entrei em um novo ciclo da minha vida: com o pé direito.

 


O dia D foi tão bom quanto à véspera. Peguei minhas pimpolhas e fui passar o aniversário na casa daquela que me recebeu há 31 anos: minha mãe, claro. Ouvi minha sobrinha mais nova dizer "titia" pela primeira vez, fiz bolo de cenoura com cobertura de chocolate com minha outra sobrinha, fui paparicada por todos, recebi mensagens, ligações e áudios incríveis. O melhor: recebi duas visitas inesperadas. Uma da minha amiga de infância que, mesmo cansada, foi me dar um abraço gostoso. E a outra da minha ex-sogra, que além de levar o bolo de chocolate que eu amo (só gosto de bolo de chocolate feito por ela), ainda me fez uma surpresa: levou minha avó Arlete. Ok. Não é avó de sangue, mas é de coração. Para sempre minha avó. Porque a gente sai da família, mas o amor não sai da gente.


Minha mãe e minha sobrinha fizeram um arranjo de lírios (que eu amo) para enfeitar minha varanda. Ficou muito lindo! E o mais legal foi a criatividade delas, usando uma lata, papel colorido, areia e flores artificiais. Ah! E meus sobrinhos fizeram desenhos fofos e... BRIGADEIRO!

 
Cada mensagem que recebi no Face, cada áudio que mandaram (até do outro lado do mundo) me desejando momentos maravilhosos, cada visita, cada ligação fez desse 16 de setembro o melhor da minha vida até agora. Porque eu descobri que o mais importante é a amizade. Somos responsáveis pelo que cativamos, e as pessoas que nos amam de verdade são consequências dos nossos atos e sentimentos por elas. 
 
31 anos sim. Mas com carinha de 25 e jeitinho de 20, porém com a responsabilidade de quem já passou por poucas e boas e sabe que com o sentimento, com a vida das pessoas (e dos animais, por que não?!) não se brinca. Que continue a comemoração! Porque sábado tem noite dançante com os amigos e domingo... ah! Domingo é dia de rock, bebê. Rock in Rio.

3 comentários:

  1. olha eu aí em mais 2 momentos pro pote azul, um no sábado e outro no domingo...hahahahahhahahaha De nada!!! Vc é uma boa pessoa e uma ótima amiga merece ter muitos aniversários como esse e no fds continuaremos as comemorações :p

    ResponderExcluir
  2. Boa noite, minha sobrinha querida. Que Deus continue abençoando cada segundo de sua estada terrena, enchendo sua vida com saúde, paz, alegrias, felicidades, energias positivas, amizades sinceras e duradouras, sucesso, força, fé e muito amor. Tudo que você desejar de melhor para sua vida, que possa realizar. Você merece o que há de melhor. FELIZ ANIVERSÁRIO! Beijos no coração e fique com DEUS.

    ResponderExcluir