terça-feira, 19 de maio de 2015

É dia de feira - e de salada no pote

Desde que saí da casa da minha mãe, a alimentação ficou oh... uma porcaria. Essa coisa de cozinhar dá trabalho, perde-se muito tempo. Mas se não cozinho, não como, porque não dá pra viver de miojo e outros alimentos pré-prontos sem engordar uns 10 quilos em dois meses e, de quebra, acabar com a saúde.

Então, eu comecei a pensar em alternativas, como comidas rápidas, porém feitas em casa, como a salada. Não sou fã de folhas e tal, mas sei que faz bem. A questão é que também não é assim tão rápido fazer uma salada gostosa, que vá além do tomate, alface e cebola. Foi aí que pensei em salada no pote. Oi? Isso mesmo. Prepara a salada com tudo que quiser em pequenos potes de vidro, armazena na geladeira (não precisa congelar) e pronto. Dura uma semana tranquilamente. Gente, é tudo de bom! Eu fiz em casa e ficou deliciosa. O meu erro foi não secar bem as folhas e não colocar o papel toalha por cima, então as folhas ficaram murchas. Mas o restante ficou bem saboroso. Uma amiga fez certinho e disse que, mesmo dias depois, estava tudo bem gostoso também na casa dela. É uma super dica pra quem tem preguiça de cozinhar, pouco tempo e, principalmente, não curte salada. Porque essas terão vários ingredientes gostosos e selecionados por você, que só vai escolher o que realmente tem prazer em comer né?!

Em cada pote eu dei uma variada nos ingredientes, mas no geral eu coloquei broto de milho, tomate cereja, azeitona, atum, cenoura, champignon, batata baroa, brócolis, couve-flor, passas, granola, alface e vagem. Ah! O que podia ser cozido eu fiz isso no vapor. Achei melhor porque dizem que perde-se menos nutrientes com essa técnica de cozimento. E, olha, nem demora muito, como você pode pensar.

Daí vem outra dica: feira livre. Não há nada melhor que comprar legumes e verduras na feira. Eu já comprei no mercado e não é a mesma coisa. Além de ser bem mais caro, os produtos não são de boa qualidade. Na feira é tudo fresquinho. E o melhor: a economia. Gastei uns R$ 30 e saí com várias sacolas cheias. O bizu é ir até o fim da feira sem comprar nada, só observando os produtos e os preços. Vai por mim. Não fiz isso e quando cheguei do outro lado da rua percebi que podia ter economizado muito mais nas barracas do final. Outro bizu legal é comprar os saquinhos dos alimentos. Alguns feirantes preparam saquinhos de cenoura, batata, chuchu etc. e vendem, tipo, três saquinhos por R$ 5. E se guardar o saquinho fechado na geladeira, os produtos duram mais tempo. 

Agora, se você não tem como ir à feira (eu só consegui porque estava de férias), pode ser um hortifruti ou sacolão de bairro mesmo. Esses lugares são sempre melhores porque, como disse, os produtos são mais frescos e os preços mais em conta. 

Aproveita a dica pra conhecer a feira do seu bairro (você vai se divertir só de andar por ela. É um ambiente muito descontraído) e prepara seus potes de salada para o resto da semana. Como acompanhamento, ou prato principal mesmo, é uma ótima opção para aqueles dias que bate a preguiça de preparar qualquer coisa para comer ou ainda, só está precisando ingerir algo mais leve antes de dormir. Chegar em casa cansada e ter uma salada já prontinha, no pote, pronta para ir ao prato, huuuum. Delícia!

Minhas saladas no pote ;)

Os alimentos no saquinho, como vieram da feira.


>> Esse é um vídeo que encontrei no You Tube de um cara que ensina a preparar a salada no pote. Não tem mistério, mas fica como tutorial. ;)

Nenhum comentário:

Postar um comentário