terça-feira, 28 de abril de 2015

Morando (COF COF) sozinha

Morar sozinha tem inúmeras vantagens, como eu mesma já disse aqui: ninguém para reclamar da sua bagunça, do seu jeito de viver; ninguém para te acordar no fim de semana com o som alto naquela música que você oh...detesta. Mas há um motivo, um apenas, que faz todo mundo querer correr de volta pra casa dos pais: ficar doente.

Estava maravilhosamente bem, havia passado o domingo na casa de uma amiga rindo com um monte de mulheres até que cheguei em casa à noite e comecei a passar mal. Acordei às três da madrugada na (piiiiiiiiiiiiiiiiii). Ontem (segunda-feira pós feriadão), levantei por volta das 9h sem a menor condição de ficar em pé. Trabalhar já não estava mais nos meus planos, pois era dor no corpo, enjoo e, pra completar, piriri. Como sair de casa assim, ainda mais pra enfrentar duas horas de deslocamento até o trampo?!

Foi nesse momento que pensei: Oh! E agora, quem poderá me defender? Só consegui pensar na minha mãe: estava com fome, mas com dor, o que me impossibilitava de preparar qualquer coisa que demorasse mais que um pão com manteiga pra ficar pronta. Porém, minha mãe trabalha. Não dava pra largar tudo e me socorrer no meio do dia.

Para piorar, minhas filhas de quatro patas estavam com fome também. Como não sou responsável apenas por mim, tive que ir pra cozinha e mandei ver numa gororoba pra nós três (eu, Nina e Layla - minhas poodles). Mas elas não comem ração? vocês devem estar se perguntando. Não mais. Desde o fim da semana passada, entrei na onda da ANA (Alimentação Natural para Animais) - contarei aqui no próximo post - então os alimentos precisam ser preparados como se fossem para nós, humanos.

Gente, virose ou qualquer outra doença não é legal quando se mora sozinha. Eu passei a tarde prostrada na cama, sem forças pra pegar um copo d'água, mesmo precisando muito. Mas precisava reagir, cuidar de mim e das minhas pimpolhas. Que situação! Uma amiga, preocupada comigo, me recomendou bastante líquido e repouso. Arrancou uma gargalhada minha na mesma hora, claro. Quem mora sozinha não consegue fazer repouso, principalmente quando está doente. Precisa comer algo decente para o corpo reagir, e nesse caso não pode ser pizza e nem enlatados né?! Então tem que ir pra beira do fogão mesmo. Para completar o dia, o gás resolveu acabar justo no momento em que eu estava preparando o jantar. =/ Só Cristo na causa! Ainda tive que correr atrás de um entregador de botijão às 20h e torcer pra ele aceitar cartão (porque eu tenho a péssima mania de não andar com dinheiro na carteira). E nesse momento eu só conseguia pensar: mãe, aparece aqui! Traz uma canja e aqueles remédios que levantam até defunto.

Pois é! Morar sozinha tem inúmeras vantagens, mas colo de mãe (ou pai, avó, tia, enfim) faz uma falta. Quem melhor que essa criatura pra cuidar de nós? Leve isso em consideração antes de deixar o ninho. Afinal, nossos pais têm suas vidas e não poderão sair correndo a qualquer hora, seja por um resfriado ou outro perrengue nosso. Sair de casa não significa apenas liberdade, mas se virar nos 30 mesmo com uma febre de 40 graus. O gás acabou, eu fui atrás de outro e a comida ficou pronta antes que meu corpo caísse no sofá pedindo arrego. ;)

O que eu queria   X   O que eu precisei fazer



Um comentário:

  1. Tadinha da minha filhota, fiquei muito puta com o seu irmão porque ele não me deu o seu recado, mas ainda bem que tudo acabou bem, bj te amo

    ResponderExcluir