domingo, 1 de março de 2015

Beleza e caos

Hoje não seria dia de post, mas como é uma data muito especial, não pude deixar de registrar aqui...

Como algumas pessoas que acompanham o blog sabem (se não sabe ainda é só ir nos primeiros posts. Sem preguiça! O blog ainda é um bebê; vai achar fácil os primeiros textos) eu passei (longos) cinco meses morando em Brasília por causa do trabalho. Mas cariocas não gostam de dias nublados. Cariocas gostam de morros, não de horizontes. Então, tente imaginar como foi a experiência desta carioca aqui em terras secas do Brasil.

Brasília não tem um morrinho pra barrar a minha visão. Lá não tem árvores por todo o canto como aqui. Ok. As pessoas de lá salvam. As que conheci são muito legais. O Parque da Cidade também é lindo. Mas não há nada como o nosso lar. E como hoje é o aniversário de 450 anos da cidade onde nasci e cresci, criei esse post pra mostrar as belezas do Rio sob o meu olhar (que não é de turista). 

Eu moro em Jacarepaguá. Se você não é do Rio, pode nunca ter ouvido falar nesse bairro, que de tão grande parece uma cidade, mas tenha certeza que é bem famoso, afinal é por aqui que fica a Central Globo de Produções (Projac. Novelas da Globo. Tá sabendo né?). Então, você já tem uma leve noção que esbarrar com artista pelo shopping e até pelas ruas não é muito difícil. E é aqui em Jacarepaguá que tem um morro lindo, que, por sinal, vive aparecendo nas novelas globais: é o gigante de JPA (abreviação de Jacarepaguá). Ele lembra um gigante adormecido. E o que dizer da famosa Pedra da Gávea, que lembra um rosto e já foi cenário do filme dos Trapalhões com a Angélica? Ela fica no bairro da Gávea, mas da minha janela dá pra ver. Eu acordo todos os dias e dou de cara com ela. Tem como não amar? 

Claro que o trânsito que disputa o primeiro lugar com São Paulo e os pivetes que tentam levar aquele cordão de R$ 1,99 na marra fazem do Rio um caos. Mas as belezas naturais daqui me encantam tanto que não há outro lugar que me prenda para viver. Aqui eu naIsci, creIsci e vou falar assim, com "i" sempre que houver um "sc" mexxxxxmo. Porque carioca pode ir pra qualquer canto do mundo, ser ciente dos problemas da cidade, mas não perde o sotaque e sempre volta morrendo de saudade dos 50ºC que fervem o asfalto no verão (é, meu povo, a música de Fernanda Abreu está defasada para o desespero de quem não tem ar-condicionado em casa. Tipo eu). E viva os 450 anos do Rio! Porque esse post foi só pra dizer que eu aaaaamo a minha cidade (que está ficando mais velha hoje) e viver aqui pode ser caótico, mas é a minha cidade, o meu mundo, a minha casa. E não há lugar melhor do que o nosso lar, não é mesmo?

PS: amanhã (como toda santa segunda-feira) tem post novinho pela manhã. Fica ligado! ;)

Turistando na cidade purgatório da beleza...Esse é o meu dia a dia.




Um comentário:

  1. Minha cidade linda!! Ô saudades desse calorzão! Ô saudades de esbarrar a vista em morros por toda parte! Ô saudades do centro da cidade fervilhando na hora do almoço! Ô saudades do meu mar no verão!

    ResponderExcluir