domingo, 4 de janeiro de 2015

O susto

Estava com 30 anos. Já tinha cogitado sair de casa, montar meu cafofo. Porém, sempre surgia uma desculpa que me fazia adiar essa decisão: aluguel caro, começar uma vida sem o conforto da casa dos pais, Saturno mexendo com tudo, um certo medo de assumir tantas responsabilidades de uma só vez. Eis que em 2014 surgiu a oportunidade de um emprego em outra cidade. Em outro estado, na verdade. Longe do meu Rio de Janeiro, do mar que tanto idolatro. Era pegar ou largar, e eu peguei.

No momento que recebi a notícia fiquei assustada. Aterrorizada. Desesperada. Ou talvez tudo isso junto. Sempre gostei muito de comer, mas nunca tinha feito nada na cozinha, só um doce para uma ocasião ou outra. Na hora, juro que a primeira coisa que me veio à mente foi  “Caramba, não sei cozinhar!”. Liguei para o namorado repassando a novidade e a criatura, que já me conhece muito bem, só pensou: “Ovo! Ovo salva em qualquer situação.” Descobriria ao longo dos meses que ele estava certo.

Saí de casa, fui morar em uma república e sinto orgulho de dizer: sobrevivi! E dou graças à internet. Qualquer coisa de que precisava, recorria ao sr. Google, que estava sempre pronto a me ajudar com uma dica. Claro que também telefono para a minha mãe, para perguntar desde coisas mais idiotas, como o ponto do ovo cozido (que agora já sei, pois cozinho junto com a cenoura e o ponto da cenoura é mole de saber, rá!), à média de  preço do sabão, para saber se não estou sendo enganada nos mercados do Distrito Federal.

Durante esses seis meses, eu, que sempre adiava a saída da casa de meus pais, já troquei de residência três vezes. É, uma baita experiência. Agora, quando eu volto para a casa, a sensação é diferente. Uma coisa, no entanto, não muda: chegar à casa dos pais e sempre encontrar aquela comidinha especial da mãe ou as coisas gostosas e calóricas compradas pelo pai. Hummm! Delicinha.


Texto escrito por Priscila Thereso, uma jornalista carioca perdida em terras brasilienses.

Priscila curtindo o Chile antes de sair da casa dos pais para morar numa república em Brasília

2 comentários:

  1. Priscila amei seu texto... Mas vou lhe dar uma dica com relação ao cozimento do ovo... Nunca o cozinhe com outro alimento, pois não é saudável... Quando for cozinhá-lo coloque um pouco de vinagre na água para a casca sair mais facilmente e o tempo de cozimento é de 15 minutos nada mais do que isso... E se gostar e quiser fazer um macarrão bem gostosinho e fácil de preparar anote aí: 1 1/2 xícara de macarrão (só serve se for massa pequena viu?), 2 1/2 xícaras de molho de sua preferência. Faça o molho do jeitinho que gostar mais. Coloque o macarrão ainda cru dentro deste molho, em fogo baixo. Mexa de vez em quando. Quando o macarrão estiver cozido está pronto para comer. Leva em média de 10 a 15 minutinhos para preparar... Espero que tenha gostado das dicas e de ter ajudado um pouquinho na sua alimentação. Quero também parabenizá-la pelo belo texto que foi muito bem escrito. Beijos, querida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Leonidia. Que bom que gostou do texto, fico feliz e agradeço o elogio :)
      Obrigada também pelas dicas, vou passar a cozinhar o ovo separado e testarei essa receitinha do macarrão. Acho que não tenho como errar, né?
      Bj

      Excluir