segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Pense bem

Tenho visto com bastante frequência pessoas que resolvem sair da casa dos pais, alugam um apê e pouco tempo depois (no máximo um ano) retornam ao ninho. O motivo é sempre o mesmo: grana. Vamos aproveitar que mais um ano vai começar em poucos dias (e ano novo sempre é uma chance de renovação, novas metas e tal) para voltar a este assunto aqui, relembrando que planejamento é a parte mais importante de quem deseja morar sozinho, ou dividir um apê com amigos. Se não tiver planejamento, o sonho da independência vai por água abaixo.

Primeiro de tudo: a casa dos seus pais realmente ficou insuportável? Essa é a pergunta que precisa ser feita em tempos de crise econômica. Tudo está mais caro, seu poder de compra diminuiu por causa da inflação altíssima e as tarefas do lar vão tomar seu precioso tempo de balada ou de estudos. Sendo assim, lembre com carinho da mordomia (ainda que pouca) que você tem na casa dos pais. Duvido que lá seja você o responsável por pagar todas as contas e manter o lugar em ordem lavando, passando, cozinhando...

A segunda questão também tem a ver com dindin, afinal tempo é dinheiro. Como eu sempre digo aqui, no apartamento da minha mãe eu tinha "serviço de quarto completo". Até café na cama eu ganhava. Ela colocava as roupas na máquina e eu, no máximo, pendurava no varal. Todos os dias tinha comida fresquinha. Pizza era somente nos fins de semana. Na minha casa é o inverso. Isso porque eu não tenho uma coisa muito preciosa: TEMPO. Saio de casa cedo todos os dias e chego muito tarde. Agora, estudando para outro concurso, até meus fins de semana estão tomados da manhã até a noite. Em qual momento eu limpo a casa? Quando eu vou ter ânimo para cozinhar? Se eu não colocar as roupas sujas na máquina, elas não vão caminhando até lá. Mas cada segundo livre quero descansar (ou estudar mais para o concurso). Então, pense bem se este é o momento de abrir mão do seu lazer, dos estudos e projetos somente porque você quer morar sozinho.

E mais uma vez eu digo: as contas chegam todos os meses. Nesse verão do capeta, a conta de energia elétrica não vai vir com menos de três dígitos. Se liga nisso! No mínimo, tem água (ainda que dividida com os outros moradores do condomínio), gás, luz (cuidado com o gato!), aluguel e/ou condomínio, telefone (até o celular pré-pago tem uma despesa mensal para manter a internet funcionando) e, se quiser fazer uma graça, ainda tem que pagar a TV por assinatura e a internet banda larga. Isso sem falar na diarista, que você vai querer contratar nem que seja uma vez por mês, e as compras de mercado, porque ninguém vive de luz. Seu salário dá? Realmente dá? Ou vai viver achando que o cheque especial faz parte do seu salário e que o pagamento mínimo do cartão de crédito é o total da fatura?

Meu povo querido, não esquece que sair da casa dos pais também implica em comprar móveis e utensílios para a sobrevivência de um ser humano (cama, fogão, geladeira, ventilador - no Hell de Janeiro precisamos de ar-condicionado mexxxxxxxmo - TV e lâmpadas para não ficar no escuro). Isso mencionando o básico do básico. Afinal, uma casa de verdade pede muito mais que essa listinha fajuta.

As pessoas que vi voltando para as casas de seus pais disseram a mesma coisa: "o aluguel estava muito caro" OU "meu salário não estava dando pra pagar tudo sozinho". Coloque tudo na ponta do lápis antes de pisar fora do ninho. Ainda que as despesas sejam divididas com algum amigo que tenha o mesmo sonho de independência, é preciso pensar: "se ele cair fora eu consigo me manter sozinho?" Já vi pessoas deixando na mão seus "colegas de quarto" porque sentiram falta do conforto da casa da mamãe e isso impactou na vida daquela pessoa que contava com a divisão das despesas para se manter no imóvel que alugaram. Tremenda sacanagem! Então, até essa possibilidade de "abandono" é preciso considerar. 

A ideia de morar sozinho ou de dividir um apê com amigos é encantadora. Mas dá um trabaaaaalho. Não quero te desanimar. Longe de mim fazer isso. Até porque, aos trancos e barrancos, ainda moro sozinha. Sinto falta de chegar em casa e encontrar tudo limpo e arrumado como por mágica, além daquela comidinha deliciosa sendo preparada. Mas foi a escolha que fiz e, por enquanto, estou conseguindo manter de boa. Minha intenção é apenas te chamar para a realidade (nem sempre tão linda) de morar sozinho. As contas vão chegar pontualmente, a casa vai ficar suja se ninguém limpar, as roupas não vão aparecer limpas e passadas no guarda-roupa por mágica e a comida...ah, a comida! Sabe aquele cheirinho gostoso que você sentia antes de abrir a porta? Pois é. Ou divide apartamento com quem sabe cozinhar (e tem disposição pra isso) ou esse cheirinho de comida caseira vai ser apenas do vizinho. 

2016 está chegando. É tempo de renovar a listinha de metas e desejos. Seja realista para que o próximo ano realmente seja maravilhoso!



domingo, 20 de dezembro de 2015

Um ano de casa própria

Há um ano entrou no ar esse blog com o objetivo de mostrar para as pessoas que morar sozinha (ou dividir apê com alguns amigos) é sim muito bom, mas tem lá seus perrengues (todos contornáveis, claro).

E como um ano de vida é sempre uma data muito especial, eu tinha pensado em sortear um presente maneiro para vocês, maaaaas a pessoa que ia fazer o tal presente furou comigo. =/ Sendo assim, não tem presente. Não chora! Vai ter. Até o carnaval sai. Juro juradinho, nem que seja outra coisa. =)

Mesmo sem sorteio, essa data não pode passar em branco. Aproveitando o aniversário do blog e o final de ano, onde tudo é retrospectiva, esse texto vai entrar no clima e apresentar os melhores perrengues e vitórias que passaram por aqui. Vem relembrar (ou conhecer) para rir e aprender!

Faz um ano que organizei uma lista de prós e contras de morar sozinha. Colocando na balança, tinham mais fatores contras. "Pense que além das contas fixas (e básicas) como água, luz, gás, condomínio e aluguel, você ainda precisa comer; pode até querer ter uma internet em casa e se dar ao luxo de assinar uma TV." Pois é, tinha muita coisa contra, mesmo assim eu decidi continuar. Vem ler >> http://migre.me/stMae

Claro que o perrengue começou antes, com a mudança sem fim. "Pra começar, nunca, jamais subestime a quantidade de coisas que você tem. É o primeiro passo pra ter a real dimensão da sua mudança." E eu resolvi dar umas dicas para o leitor não passar um mês levando móveis e bibelôs de uma casa para outra. Não se mude sem antes ler isso! >> http://migre.me/stNRM


Uma das piores coisas que pode acontecer na vida de uma mulher que mora sozinha (ou com outras mulheres) é entrar uma barata em casa. A coisa vira o capeta se for voadora. Eu passei por algo assim com minha amiga Isa quando morávamos numa república. Medo. Muito medo. Vem rir do desespero alheio! >> http://migre.me/stMiy

Gente, por que é tão difícil encontrar uma diarista minimamente boa para o serviço? "O cafofo estava limpo, porém tudo estava fora do lugar (inclusive a geladeira e o micro-ondas). Ok. Dá pra relevar. Ela não tem como gravar a posição dos objetos. Continuei a ronda e... A minha moldura favorita imitando a de Friends estava quebrada. Surtei. "Ela vai ter que pagar por isso". Meu namorido compreendeu, mas se assustou com o meu "tanto escândalo por tão pouco"." Agora vem gargalhar com o piti DELE. >> http://migre.me/stMtQ

Sempre achei que ir ao mercado era uma tarefa mega simples. Até o dia que fiz isso sozinha pela primeira vez. "Primeiro perrengue: voltar pra casa sem carro. Fui arrastando as sacolas, quase amputando um braço até chegar em casa. Eram só cinco minutos de caminhada. Nem tinha táxi pra isso. Cheguei com um palmo de língua pra fora." Não era a coisa mais simples do mundo? Só quando a gente é co-piloto da mãe ou do pai empurrando o carrinho de compras. Vem aprender! >> http://migre.me/stMzk

Eu sou daquelas que MORRE de medo de fritura, mas ama um frango frito. "Na hora da combinação óleo quente + comida eu pareço uma mulher de armadura: coloco avental, enrolo um pano de prato em cada braço, com a mão direita seguro uma espátula e na esquerda uma tampa de panela (quase como um escudo)". Uma cena ridícula, que merecia solução. Dá um confere! >> http://migre.me/stNLv

Saindo da fritura, vamos lembrar da dica saudável que passou por aqui este ano: Pole Dance. Quem segue o blog no Facebook ou no Instagram sabe que isso virou minha paixão.  "E quando digo que é uma atividade viciante é porque cada barra de ferro que vejo dá vontade de pular nela e fazer "A pose". Consegue imaginar minha agonia no metrô para não dar uma de louca? É serio!" Vem se apaixonar também e se sentir mais poderosa que a Anitta! >> http://migre.me/stO4S

Mesmo com o Pole me fazendo muito bem, tive um surto que me levou a procurar um tratamento psiquiátrico. Somos a geração Rivotril, não é mesmo? Por ser um assunto sério (e grave) resolvi falar sobre isso aqui, o que acabou rendendo muitas mensagens inbox de pessoas desconhecidas até então, me pedindo ajuda por também sofrerem (caladas) de depressão. >> http://migre.me/stOcw

E como eu sei que falta de grana pode acabar com a disposição de qualquer pessoa sair da cama, dei uma garimpada básica em Vigário Geral e descobri: lá é a fonte de decoração show de bola sem sofrimento. >> http://migre.me/stOdy

Ah! Não dá para esquecer que esse blog contou com alguns pitacos: amigas queridas que contaram suas vitórias e perrengues após saírem da casa dos pais. Vem gargalhar junto comigo! >> http://migre.me/stOiR



Decor de Natal - Ainda dá tempo

Quando é Natal na Leader, é Natal em qualquer casa carioca. Para quem não é do Rio de Janeiro, Leader é uma loja de departamentos que todo fim de ano faz a gente cantar seu jingle "Já é Natal na Leader. Já é hora. Já é tempo de aproveitaaaaar..."

Mas esse ano, eu levei um pouco mais de tempo para decorar meu apê para receber o Papai Noel. Estava esperando minha sobrinha Nyck para montar a árvore. Espera em vão, pois ela preferiu ficar no computador, enquanto eu e minha mãe decorávamos a casa. 

Sei que hoje já é dia 20 e muito provavelmente você está com a decoração pronta. Mas dicas são sempre legais né? Por isso, garimpei algumas ideais por aí. Vai que você olha para alguma coisa aqui e pensa: "por que eu não fiz isso?" Ainda dá tempo. Natal mesmo só é dia 25. Levando em conta que começamos a comemoração no dia 24, ainda temos alguns dias para soltar a criatividade. Dá uma conferida nas coisas bacanas, simples e práticas que selecionei para dar um toque especial na decoração com o que temos em casa!

Quem disse que você precisa pagar uma fortuna para ter uma árvore de Natal? Criatividade
é tudo de bom. 

Foto é sempre uma ótima maneira de decorar a casa. Estas penduradas no pisca-pisca deram um charme a esse cantinho da casa.

A escada ganhou um toque natalino ainda mais fofo com canecas recheadas de enfeites de Natal. Eu colocaria bombons para a alegria geral dos convidados.

Cartolina colorida, tesoura, linha e cola. Duvido que você não tenha em casa ou não encontre em qualquer papelaria.

Essas toalhas são fantásticas. Não precisa de mais nada no
lavabo para receber elogios das visitas. Essas eu encontrei
no blog Decorassento.

Apaixonados por livros merecem essa árvore de Natal em casa.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Quando o livro perde o encanto

Certo dia, ganhei um livro de um amigo. A capa não me atraiu, mas a sinopse me fisgou na mesma hora, fiquei encantada. Li e reli a sinopse várias vezes, porque realmente era sensacional. Fui, então, passeando pelas outras páginas, claro, afinal era um livro que aparentava ter muito conteúdo. E realmente tinha. 

Cada página ia me encantando cada vez mais, prendia minha atenção por horas. Eu viajava naquelas palavras que faziam tanto sentido. Era a minha história sendo contada por outra pessoa que nunca tinha me visto. Isso já aconteceu com você? Creio que sim. Pois fiz uma busca do que falavam sobre esse livro e os comentários eram basicamente os mesmos: a autora retratava exatamente a vida daquelas pessoas, como descrevia os meus sentimentos com a perfeição de quem me conhece de longa data. Mas eu nunca tinha sido apresentada a ela. Provavelmente, nem aquelas outras pessoas que comentaram tão bem sobre a obra. Então, como isso podia acontecer? Será que a minha vida era tão ridiculamente comum a ponto de uma escritora qualquer publicar um livro e centenas de milhares de leitores se identificarem também?

Estava cada vez mais apaixonada por aquela escritora que eu nunca tinha visto. Minha admiração era tamanha que eu dividiria minha casa com ela, afinal, me conhecia tão bem, mesmo nunca tendo trocado uma palavra comigo. Que mal teria de compartilhar um tempo com uma estranha?!

Fui passando da metade do livro, descobrindo um pouco mais sobre a autora, até que um dia o encanto acabou. Não que a obra fosse ruim. Pelo contrário. Continuava incrível. Mas eu havia brigado com aquele amigo que me deu o tal livro. Ele está lá, num canto da minha casa que mal recebe minha atenção. Nunca cheguei ao final dele, pois a simples continuação da leitura me levaria a recordações de uma relação que não tem mais como existir. Quem sabe um dia ele não cai da estante, aberto na exata página que eu deixei de lado, me convidando (novamente) a uma leitura; a leitura da minha própria vida. Por enquanto, não tenho coragem de seguir com ela. Uma pena! Porque o enredo era incrível e tinha tudo para me fascinar ainda mais.




segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Decore a casa sem precisar vender um rim

O lance é ter uma casa estilosa sem precisar deixar um rim na loja de decoração. Por isso, o texto de hoje é sobre um lugarzinho chamado Vigário Geral (uma comunidade - vulgo favela - aqui no Rio de Janeiro), que eu prefiro chamar de paraíso. Lá tem tudo que você quiser para decorar casa e festa. A maioria com preços bem atrativos. Já tinha ouvido falar nesse lugar como o ideal para montar o apê com pouca grana, mas por ser longe da minha casa demorei para conhecê-lo. 

Há duas semanas, eu e mais duas amigas fomos bater perna em Vigário Geral. Passamos o dia inteiro lá entrando e saindo de lojas. Cada uma era um mundo. Eu, como boa virginiana, quase enlouqueci no meio de tantas opções. Eram umas 500 formas de pisca-pisca de Natal (de coração, de bolinha, de estrelinha, amarelo, azul, branco, lilás...). Isso sem contar a infinidade de itens natalinos: Papai Noel de toooodos os tamanhos e cores, guirlandas com diferentes adereços, duendes, presépios, meias... Ufa! De garfo e faca a mesas e lustres. O que você quiser, alguma loja em Vigário Geral tem. Fato! Dá pra perceber que quase enlouqueci? A parte boa é que eu fui com a intenção de comprar apenas um espelho. Saí de lá com ele e mais um monte de coisinhas lindas para o meu cafofo (sem deixar o meu rim como pagamento). 

Se você for do Rio, não decore a sua casa antes de passar em Vigário Geral. Juro, vai se arrepender. Agora, se for de outro Estado, dá um confere nos bairros do subúrbio da sua cidade, porque isso tem em qualquer lugar do Brasil. Só para ter uma ideia: o espelho que eu namorei por meses na loja de um shopping estava pela metade do preço nessa mesma loja, porém localizada na comunidade (e ainda saiu pela metade do valor que estava na etiqueta de Vigário Geral porque uma das minhas amigas é fodástica na pechincha). Dá um confere aí no que eu comprei gastando quase nada e aproveita para se inspirar e fazer o mesmo por você e pelo seu apê. ;)

Esse é o espelho dos meus sonhos. Grande e com a tonalidade de vermelho que eu amo. Não corro mais o risco de sair de casa sem perceber que o vestido está transparente no quadril. Porque agora eu posso me ver por completo, bebê. ;)


O meu banheiro tinha um "armário da vovó" que eu odiava. Quando me mudei, ele já estava aqui e por aqui foi ficando porque eu não encontrava um espelho legal e barato. Até que encontrei este por R$ 49 em Vigário Geral. Agora o banheiro parece até maior. \o/

Eu e minhas amigas encontramos uma loja de essências, mas claro que resolvemos comprar os produtos para fazermos o nosso próprio aromatizante. Como eu já tinha esta garrafa de licor, resolvi utilizá-la para perfumar a sala. Em outro post vou mostrar que sai muito mais em conta fazer o próprio aromatizante do que comprar aqueles prontos. 

Esse sachê de lavanda é simplesmente maravilhoso. Está pendurado na parte interna da porta do guarda-roupa, mas perfuma o quarto inteiro. Esse foi o único item das compras que achei mais carinho (pela funcionalidade e sua durabilidade também - cerca de um mês). Custou R$ 25.

Essa janela tem história: vi uma semelhante num apê perto da casa da minha mãe e fiquei doida para ter uma na minha varanda. O detalhe: eu a comprei pensando em colocá-la numa parede que não tenho, mas que eu só percebi depois de levá-la pra casa. Só a doida aqui pra fazer isso! O jeito foi colocá-la na parede que realmente existe. O resultado não foi o mesmo que estava na minha imaginação, claro, mas também ficou bem legal. A minha única dúvida agora é se a mantenho com a cor natural ou se jogo uma tinta. (??????) 

O aromatizante de ambiente é uma graça. A essência eu mesma preparei e usei uma de amora para deixar o banheiro bem cheirosinho.

Estava louca para substituir meu copinho por uma moringa, mas todas que eu via por aí eram carinhas. Até que encontrei esta em Vigário Geral por R$ 15.

O Papai Noel é, na verdade, um peso de porta. Mas não tenho coragem de colocá-lo no chão. Ele é tão fofo que merece um lugar de destaque na sala.


quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Ideias maneiras para decorar sua parede lousa

Parede lousa se tornou tendência nos últimos anos e parece que veio para ficar, afinal quem não gostaria de rabiscar uma parede inteira sem culpa? Temos isso dentro de nós desde a mais tenra idade. A diferença é que agora podemos fazer isso (e os pimpolhos também) sem nos preocuparmos. Rabiscou, apagou. Quantas vezes quiser.

Eu não sosseguei enquanto não criei uma parede assim aqui em casa. E nem era para usá-la como rascunho. Queria algo diferente, onde eu pudesse soltar a criatividade desenhando e escrevendo algumas coisas; uma parede que fosse quase um objeto de decoração. 

Como eu não tenho muita habilidade com desenhos, procuro referências na internet. Dessa forma, eu vejo uma ideia bacana e adapto ao meu "estilo de desenhar". Sacou né? Veja abaixo algumas paredes para você se inspirar e preencher a sua com vários desenhos e frases iradas. O mais legal é que se você se cansar, é só apagar e fazer outra coisa, mudando a decoração de acordo com o seu humor.

















segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Se meu criado-mudo falasse

Se meu criado-mudo falasse, ele contaria altas histórias que viu e leu. Guardo nele livros, mas também sonhos. Sim, sonhos. Tenho um bloquinho e uma caneta ali para qualquer ideia genial que surja durante a noite, mas acabam me servindo também de instrumentos para anotar aquele sonho que, de tão real, registro para, logo, confirmar a realização dele. Mas o texto de hoje não é sobre confissões, e sim sobre inspirações.

O meu criado-mudo (algumas pessoas também chamam de mesa de cabeceira ou mesa de canto) é bem clean para contrastar com a cabeceira da minha cama (clique aqui se ainda não leu esse post). Mas tem de tudo por aí: desde uma mesinha de ferro, até cadeiras fazendo a função de criado-mudo. E vamos combinar que esta peça é essencial no quarto, tanto quanto a cama. Sem a mesinha, onde você colocaria o livro que acabou de ler antes de cair no sono? Onde apoiaria o copo d'água para evitar ir até a cozinha de madrugada? E a luminária, ficaria no chão? Além de funcional, a mesa de cabeceira faz parte da decoração do quarto. Ela (ou a ausência dela) revela a personalidade do morador: conservador, moderno, hipercriativo, metódico, "tô nem aí"...

Selecionei alguns modelos de criado-mudo, que vão do moderninho ao vintage, para você ter como inspiração na hora de decorar (ou reformar) o quarto. O mais legal? Esse blog preza o seu bolso, então é claro que têm modelos DIY bem bacanas para você soltar a criatividade gastando quase nada. Confere só!

Amo malas antigas. Ficam um charme empilhadas dando forma a uma mesinha.
 
Um simples caixote de feira lixado deixa esse lado do quarto mais interessante.
Estou louca atrás de uma cadeira desse tipo. Acho tuuudo na função de criado-mudo.

Caixote repaginado com papel de parede / Banco rústico apenas lixado. Tenho ambos aqui em casa, caso alguém queira. ;)

O caixote de plástico ganhou outra utilidade apenas com pé palito e uma placa de madeira.

Quem disse que tudo que parece lixo realmente é lixo?
 
Para tudo! O que é essa mesinha simulando livros empilhados?! Quero loucamente pra mim.
Foto: Ericka Guimarães
 
Jogar uma cor na madeira antiga dá um ar moderno à mesinha. Esse é o antes/depois feito pelo blog Identità Marcenaria Art & Design. Ficou irado!

Este modelo mais simples se destaca no cômodo com uma cor vibrante.

Criado-mudo bem neutro, pois aqui é a parede que se destaca.

Modelo provençal para os que amam antiguidade.

E um toque de modernidade não faz mal a ninguém. 

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Bebendo e decorando o apê

Flores dão um toque de aconchego dentro de casa e, dependendo da sua escolha, ainda perfumam o ambiente. Eu sou apaixonada por lírios, que têm um perfume delicado e ao mesmo tempo marcante. No entanto, não tem graça pegar um buquê e colocá-lo dentro de uma jarra. O que eu acho mais legal é desmembrá-lo, enfeitando vários cômodos. Também curto muito comprar flores variadas e espalhar pelo apê dentro de vasinhos improvisados. E como eu improviso os vasos? Com garrafas, lógico.

Vinho, cachaça, licor, cerveja. Chame os amigos, bebam tudo e guarde as garrafas. Além de não contribuir imediatamente para o aumento de lixo, você ainda dá um toque especial ao seu cafofo. Tanto vale usar a garrafa como vaso para plantas e flores, como bibelô enfeitando um móvel, luminária ou reutilizando-a como... garrafa =) Muito melhor do que comprar uma para colocar água na geladeira, afinal você acaba tendo várias garrafas maneiras depois de uma bebedeira saudável mesmo.

Veja algumas ideia bacanas para reaproveitamento de garrafas de vidro na decoração e deixe sua casa muito mais acolhedora e interessante. ;)

Essas garrafas de cerveja sã lindas demaaaais. Impossível descartá-las. São do Chopp Mania RJ.

Decorando a cozinha ou mesmo servindo como buquê numa festa informal de casamento.

Na primeira foto, uma das garrafas foi decorada com filtro de café usado. Na foto inferior à esquerda, ela foi envolvida com tiras de jornal e recebeu verniz para finalizar. A do canto direito recebeu apenas uma fita laranja, mas que já deu um charme todo especial.

Luminárias diferentes para ambientes internos e externos.


Depois de esvaziar a Gabriela e lavar bem com água e detergente, ela foi para a geladeira com água. A outra ganhou um mosaico, que dá para fazer até com cola colorida.

Por que mandar o Jack embora quando ele pode ficar no seu quarto?

Créditos das imagens:
1: Chopp Mania RJ (clica aqui pra conhecer. O serviço é show de bola).
2: euzinha + foto "roubada" do casório da minha prof. linda de Pole Sport.
3: euzinha de novo.
4: Site Reciclagem, Jardinagem e Decoração.
5: olha eu de novo =)
6: googlada

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Falta um móvel aqui

Como muitos já sabem, eu me mudei para meu atual cafofo e passei apenas 20 dias aqui antes de me mudar novamente, dessa vez para Brasília. Quando de fato me mudei para este apartamento, em julho do ano passado, eu percebi que um dos móveis não estava mais aqui. Era um dos meus favoritos. Não. Era o principal móvel desta casa, era o que a transformava em lar, que dava um toque diferente na decoração, que fazia eu me sentir... sei lá, diferente por ter conquistado um móvel tão raro.

Até hoje não sei o que aconteceu, como ele sumiu daqui de casa. Comprei outros para tentar substitui-lo, mas não deu muito certo. Incrementei a decoração colocando uns quadros nas paredes, uma manta no sofá, cheguei a trocar os móveis de lugar para tentar ocupar o espaço que ele deixou vazio. Nada disso adiantou.

É incrível como certas coisas são insubstituíveis dentro de uma casa, não é mesmo? Um micro-ondas, por melhor que seja, não substitui um fogão. Cada um tem a sua função específica, ainda que sejam semelhantes em alguns aspectos. Da mesma forma, uma poltrona não substitui um sofá, assim como uma rede não consegue ocupar o lugar de uma cama. 

Quando foi mesmo que tiraram esse meu móvel tão importante de dentro da minha casa? Hoje, eu olhei para um canto, aquele cantinho da casa onde ele ficava, e bateu uma saudade. Afinal, era um objeto que já fazia parte da minha vida há alguns anos. Com alguns arranhões, claro, mas ainda brilhava e deixava aquele cantinho do meu cafofo mais lindo, mais vivo. Não adiantou eu trocar os móveis de lugar, muito menos comprar outros. Não há o que preencha o espaço enorme que ele deixou aqui dentro de casa. Talvez quando eu encontrar um novo apê e me mudar, não sinta mais falta dele, pois será uma nova casa, onde ele jamais terá entrado, um lugar onde ele não terá feito parte dos meus planos de decoração, uma vida nova. Até lá, sigo evitando olhar na direção de onde ele ficava, de lembrar das coisas que ele guardava e que me enchiam de alegria, com um sorriso de orelha a orelha, quando ele se abria, revelando o que tinha ali dentro. 

É loucura sentir tanta falta de um móvel dentro de uma casa? E se essa casa for o seu coração?



segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Vários estilos de cabeceira para você sonhar (e criar)

Hoje é segunda-feira e dia de... TUDO. Porque é na segunda-feira que decidimos começar o que adiamos por dias, semanas, meses, quem sabe até anos: dieta, academia, busca por emprego, faxina, inclusive repaginar a casa. Então, vamos falar de decoração? 

É muito comum a pessoa que está indo morar sozinha pela primeira vez se preocupar apenas com o basicão (por questão de grana mesmo). Logo, o quarto ganha um armário (quando não uma arara), um criado-mudo (que também pode ser um banquinho velho) e uma cama. 

Mas cama sem cabeceira fica estranha, sem vida. Pra qual lado você dorme? Com a cabeça perto da parede, uai! Tudo bem que isso seria uma pergunta ridícula, mas cama sem cabeceira realmente fica parecendo que falta algo. 

Eu nunca quis uma cabeceira tradicional. Antes de me mudar, pensava em contratar alguém para pintar, com traços bem delicados, um modelo estilo provençal, mas depois mudei de tinta para adesivo e de princesa para algo mais alternativo. ;)

Na minha busca por uma cabeceira de adesivo que me empolgasse encontrei cada uma mais linda que a outra. Mas vou falar: dá um trabalho da P&$%@ colocar isso. Sozinha nunca teria conseguido. No mínimo, mas no mínimo mesmo, duas pessoas (com muita disposição) conseguem aplicar o adesivo após uma hora de muito suor.

Selecionei alguns modelos para você se inspirar. Claro que separei também alternativas ao adesivo, se você for do tipo que não tem tanta habilidade com contact, ou só não curte nada colado na parede. Mas vou logo avisando que os modelos não são tradicionais. Não. Aqui neste blog não entra nada no estilo princesa impecável. Tem coisa de mulherzinha sim, até porque eu sou menina, mas num modelo bem mais bacana do que as tradicionais cabeceiras que a gente encontra ao entrar numa loja... digamos "sem cor".

Dá um confere na seleção de imagens para se inspirar e dar vida ao seu quarto! O mais legal é que quase todas as opções são estilo DIY. Ou seja, fica com a sua cara e você não gasta quase nada. 

 
Simplesmente apaixonada por esta cabeceira feita com portas antigas. Certamente, quando eu reformar o quarto, a minha será assim.


Pallet é vida. Dá pra fazer quase tudo com ele. Olha esse modelo!



Essa cabeceira é superestilosa. Perfeita para uma casa de praia.

Forrar madeira com tecido também é uma ideia bem bacana para uma cabeceira.

A praticidade do varão de cortina modelando a cama.


Isso sim é dar vida nova a um móvel velho.

Fotos e luz de natal dão um ar bem jovial à cama.


Agora começam os estilos em adesivos. Estes eu encontrei no site Mudo Minha Casa.






Tem até para quem curte Lego.

E essa é a minha cabeceira imitando vinil. Amooooooo <3